quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A arte na infância é fundamental para a criança desenvolver a criatividade, o senso critico e estético, coordenação motora fina, a curiosidade e a auto-estima. As crianças quando estimuladas a pensar, inventar e manifestar sem bloqueios seus sentimentos aprimoram sua linguagem e capacidade de concentração.

Mas é importante salientar que fazer atividade de Arte com as crianças não se trata, por exemplo, de mandar a criança preencher formas prontas ou fazer colagens em desenhos de bichinhos. O ensino de artes tem a função de ampliar a sensibilidade e aguçar os sentidos, através de experiências, apreciação, contextualização e produção.

Nosso papel de pais e dos educadores dos nossos filhos é criar condições materiais e pedagógicas para que o contato da criança com a Arte aconteça da forma mais lúdica e prazerosa. Orientar, provocar, criar um ambiente propício para que ela faça, refaça, experimente e construa.







O legal é fazer com que a Arte seja compreendida pelas crianças como uma linguagem humana, uma forma natural e profunda de expressão de idéias, emoções e sentimento.





um pinguinho de tinta na mão e...




nem lembra mais que estava pintando no papel...kkk


Abaixo algumas dicas para fazer arte com seus pitocos:


TINTA VEGETAL


Deixou o feijão de molho? Borá separar um pouco da água escura que se forma para fazer uma bela aquarela. É ótimo para pinturas com bebês. Pode usar bem liquida ou misturar um pouco de cola branca para dar mais consistência ou bater no liquidificador a verdura/fruta com água. Outras tintas vegetais possíveis

- água do cozimento da beterraba


- da cenoura


- do espinafre


- da abóbora


- café


- chá


- terra


- amora


- morango


Para pintar vale pincel, esponja, algodão, cotonete, dedos, carimbos, palitos, canudos, escova, spray...





Tinta de beterraba




Estava comendo amora...





... eis que surge uma cor tão linda!




Pintura com terra misturada com cola e água, feita com palito


O bom e velho guache dá conta direitinho das criações, claro que as crianças se surpreendem quando tiradas do lugar comum. Mas o que vale mesmo é liberar a criatividade.





Pintura com frasco roll on




Pintura com frasco de salsep
O assunto é amplo demais e eu apaixonada pelo tema, mas prometo voltar com mais dicas e ideias em outros post. Por hora só mais uma receitinha que é uma delicia de fazer...

MASSINHA DE MODELAR


- 2 xícaras de farinha de trigo


- 1 xícara de sal


- 2 colheres de sopa de óleo


- água suficiente para dar consistência de pão à massa (pouco mais do que 1 xícara)


Sovar bem em superfície enfarinhada até a massa parar de grudar na mão (acerte o ponto com farinha de trigo) usar corante comestível ou a tinta vegetal (dicas acima) para colorir a massa.

sábado, 24 de dezembro de 2011

O MENINO QUE DEU UM PRESENTE A JESUS


O que vocês gostam mais,receber ou dar presentes? (Permitir respostas) Por quê? Estamos próximos do Natal, então hoje eu gostaria de falar de um menino que, embora não fosse Natal, também deu um presente a Jesus. 
A Bíblia não diz o seu nome, porém ele é lembrado por essa virtude tão linda, chamada:
GENEROSIDADE 
_ Sai cedo de casa para ouvir Jesus. Como me encanta as histórias que Ele nos conta!Ajudei à mamâe e ela me preparou um lanchinho. (Uma criança vestida apropriadamente irá dizer essa frase e mostrar uma cestinha com pães e peixes). _ Disse que mais tarde, eu posso sentir fome. (Sorri e sai)
 Era um lanchinho simples, mas apetitoso, preparado exclusivamente para o momento. O que sabemos que eram: cinco pães de cevada e dois peixinhos
 Muita, muita gente foi ouvir Jesus. Ele ensinava as pessoas com tanto amor, sobre o Reino do Céu. Seus corações batiam fortemente de emoção. Seus olhos brilhavam ao contemplar o Salvador. O tempo passou...Quase ninguém havia notado, porém já estava escurecendo. Os discípulos de Jesus começaram a ficar preocupados. 
Tinham agora um problema e não sabiam como resolvê-lo. Quem alimentaria essas pessoas? Era uma enorme multidão!
 O dia havia passado e ninguém havia comido. Esqueceram-se de que Jesus, o Pão da Vida, estava com eles para suprir qualquer necessidade. Então perguntaram o que deveriam fazer. Alguém disse: _ Aqui está um menino que tem cinco pães e dois peixinhos.
 _ O que é isto para tanta gente? Respondeu outro. Rapidamente levaram esse meninozinho a Jesus,com o seu lanche. Ele estava muito feliz por poder dar-Lhe sua merenda, até se esqueceu que estava com fome. O menino fez isso porque amava muito a Jesus. Talvez ele tivesse pensado que Jesus aceitaria o seu lanchinho para comer. E vocês sabem a história. Porém, uma grande surpresa o aguardava. Não só a ele, mas a todos que estavam ali, mais de cinco mil pessoas. Todos se assentaram na grama. Jesus pegou aquele lanchinho, orou e o abençoou. 
E foi repartindo para todas as pessoas. Jesus repartia e os discípulos distribuíam, até que todos estavam alimentados. Sim Jesus fizera um milagre e com aquele pequenino lanche alimentou a muitas pessoas. Esta criança deu a Jesus o que tinha. E nós neste Natal, o que vamos dar a Jesus? Ele espera que Lhe entreguemos o nosso coração, que é o nosso melhor presente.
 Que O amemos de verdade! E quando fizermos isso seremos muito felizes. Jesus também ficará muito feliz. O Papai do Céu deu-nos o melhor presente. 
Ele deu tudo; deu a Jesus. Na Bíblia, lá em João 3:16 diz assim (ler este verso com as crianças, ou permitir que repitam junto) 
Vamos nesse momento entregar a Jesus o nosso coração?
 ( Neste momento dizer à igreja:) Queridos irmãos, o convite de Jesus é para você também. Ele espera que neste Natal entreguemos a Jesus o melhor: o nosso coração.
 (Fazer então uma oração com as crianças) 

Por que será que nos decepcionamos tanto com as pessoas?
E de pensar que muitas vezes vemos algumas pessoas e achamos que as conhecemos o suficiente para passar a dividir o mesmo espaço com elas diariamente, e de repente com o passar do tempo e com a convivência você vai percebendo que aquela pessoa não é bem aquilo que ela encenava para você, aquela pessoa doce e carinhosa porém batalhadora; amiga e companheira porém forte.
Na verdade elas se mostram arrogantes e prontas a discutir com você por qualquer coisa, se acham donas da verdade e não conseguem nem ter uma conversa civilizada com ninguém, pois, o que deve prevalecer é a sua opinião e o seu ponto de vista, e para que isso aconteça levanta a voz e as vezes parece até que está pegando uma briga com as pessoas, parece que vive em constante disputa por espaço, atenção, e reconhecimento.
Parece até que todos os dias elas acordam e escolhem a máscara que irão colocar naquele dia, qual o papel que irão encenar naquele dia, e muitas vezes esquecem que não se consegue interpretar e segurar a máscara intacta por muito tempo, e quando você percebe a real face da pessoa, você se decepciona tanto que se torna até difícil a convivência com elas, tudo fica mais difícil e o que se deseja é passar o mínimo de tempo possível no mesmo ambiente.
É só então que você se lembra do que diz a Bíblia lá em Jeremias 17:5a: "maldito é o homem que confia em outro homem." Então você passa a por em prática o que diz a Bíblia em Efésios 4:2: "com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor."
Mas como é difícil colocar em prática aquilo que a Bíblia diz, quando não nos sentimos confortáveis a fazer, mas é nesse momento que mostramos realmente que somos cristãos "pequenos Cristo", pois, estamos ultrapassando nossa força e nossa natureza humana para que o nome do Senhor venha ser glorificado através das nossas vidas, pois, estamos deixando o nosso eu e o nosso orgulho morrer para que possamos mostrar que somos diferentes dos que estão no mundo.


Wises Albertina Chaves

De malas prontas


E tudo começa a se encaixar, mas ao mesmo tempo um misto de sentimentos transbordam dentro de mim, a felicidade pela conquista e pela possibilidade de crescimento e ao mesmo tempo aquela saudade das pessoas amadas, da minha terra e de tudo que amo.
Chegou o momento de crescer, de alçar vôos mais altos, chegou o momento de ser independente.
Felicidade é pouco para o que estou sentindo, não sei que nome dar a esse turbilhão de sentimentos que passa dentro de mim.
Mas vamos em frente, vamos enfrentar os novos desafios e esperar para ver todas as coisas que irei alcançar.
Nesse momento estou vivendo como aqueles que sonham.

Wises Albertina Chaves da Cunha

SE ELE NÃO TIVESSE VINDO (NATAL)











Se Eu não viera, nem lhes houvera falado, pecado não teriam; mas, agora, não têm desculpa do seu pecado. João 15: 22
Adaptado do livro SE ELE NÃO TIVESSE VINDO da Casa Editora Presbiteriana 2ª edição 1987

CRIANÇAS AGRESSIVAS




Ela é ou está agressiva?

Olá Pessoal! Tudo bem?Quem não tem um aluno agressivo aqui? Acho quase que impossível que alguém me fale que não tem.


É Agressivo ou Está Agressivo???
- Eis a Questão! - Todos os seres humanos (e inclusive os animais) trazem consigo um impulso agressivo. A agressividade é um comportamento emocional que faz parte da afetividade de todas as pessoas. Portanto, é algo natural.No entanto, a maneira de reagir frente à agressividade varia de sociedade/Cultura, pois cada uma tem as suas leis (umas inclusive agressivas), valores, crenças, etc..
Alguns comportamentos agressivos são tolerados, outros são proibidos.Nas sociedades ocidentais, bastante competitivas, a agressividade costuma ser aceita e estimulada quando esta vale como sinônimo de iniciativa, ambição, decisão ou coragem. Mas é impedida, reprimida ou punida quando identificada como atitudes de hostilidade, de sentimentos de cólera.Confuso, não?!


Confuso, não?! "MEU FILHO É AGRESSIVO...!" Para cada um de nós esta frase tem uma conotação, um significado diferente pois determinado tipo de comportamento pode ser considerado agressivo para uns e não para outros.Mas afinal, O QUE É SER AGRESSIVO???Seria qualquer ação que pretende danificar algo ou alguém.
Geralmente, estes atos agressivos não são a verdadeira expressão de raiva, mas sim desvios de outros sentimentos (como mágoa, insegurança, etc.) que devido ao fato da criança não saber como lidar com eles, expressa-os através de atos agressivos.
Agressividade NÃO é traço de personalidade. Portanto,NÃO existem crianças que SÃO agressivas - se digo que "Joãozinho é agressivo", esta agressividade se torna parte dele, da sua identidade/personalidade e isto é falso. O correto é dizer que "Joãozinho cometeu um ato agressivo". Portanto o CORRETO seria dizer que a criança ESTÁagressiva.Existem dois tipos de agressividade:

a) INSTRUMENTAL: dirigida apenas para alcançar uma recompensa, não visa acarretar sofrimento ao outro;
b) HOSTIL: tem como objetivo atacar/ferir o outro.
Podemos encontrar agressividade: VERBAL: ataca por meio de palavras, e FÍSICA: envolve o ataque físico (corpo).

Dentre os fatores que influenciam a agressividade, encontramos o meio ambiente no qual a criança está inserida. Geralmente acredita-se que a agressividade provém apenas de força interna, que é algo inerente ao indivíduo. Ao contrário, é o ambiente que perturba a criança. O que falta internamente à criança é a capacidade e a habilidade para lidar com esse ambiente que a deixa com raiva, com medo, insegura...Logicamente, todos nós sofremos pressões do ambiente em que vivemos e nem todos respondemos à esse ambiente com comportamentos agressivos.

O que acontece é que para alguns existe um déficit frente à capacidade de tolerar frustrações, para tolerar a falta e suportar coisas que não podemos ter na vida, que não sabemos ou que não entendemos.Sabemos então que a agressividade não é algo inato, algo com que a criança já nasça e nem um traço de personalidade. Ela é influenciada pelo meio. Porém antes da criança receber a influência deste meio macro-social, em uma primeira etapa a criança é influenciada pelo meio micro-social, ou seja, pela sua família. Somente depois é que era assimilar os valores da sociedade e dos meios de comunicação.

Assim, atos agressivos podem ser APRENDIDOS por meio da observação de modelos agressivos também pode ter efeito de aumentar o comportamento agressivo do observador. Portanto, é de se esperar que, em geral, crianças recompensadas por agressão e as que vêem muita agressão nas pessoas que a cercam tornar-se-ão mais agressivas do que aquelas crianças que tem modelos menos agressivos e que foram menos recompensadas por comportamentos agressivos.

ATENÇÃO também aos programas de televisão. Pode-se encontrar programas com imagens que chegam a requintes de perversidade...
Conclusão: NÃO há tendência inata ou subjacente para a agressividade. Tudo isso é comportamento aprendido. Por isso nunca existirão crianças tem a sua própria história de vida, cada uma levou "diferentes socos" da vida, cada uma foi educada em famílias diferentes, com valores e idéias diferentes... portanto só poderiam ser diferentes!!!

(Cristina Felipe CorsiniCRP 06/4118-0 Psicologa Clínica Infantil, Psicopedagoga, mestrado em Psicologia Escolar-Puccamp. Desenvolve trabalho como Psicóloga Escolar em pré-escola e junto à professores de 1ª a 4ª série do 1º grau da rede municipal de Ensino em Campinas, SP.) 



http://fabriciodaniela.blogspot.com/2008/05/crianas-agressivas.html


REFLEXÃO- o homem e o carro

Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia” (Sl 139.15,16).



Certo homem, muito tempo atrás, possuía um automóvel modelo Ford, com o qual passeava pelas ruas de sua cidade.

Contentíssimo, o proprietário se admirava sempre dos muitos recursos do novo veículo, entre eles, velocidade e maciez. Certo dia, quando o nosso amigo estava passeando, o carro, subitamente, parou. Em plena avenida, morreu o motor e nada o fazia pegar. De tudo tentou o proprietário. Deu partida várias vezes. Empurrou. Abriu o capô, fechou, tornou a abrir. Pediu ajuda. Mas nada... Não deu nenhum sinal de que iria funcionar. Como podia! Um carro tão bom, parar desse jeito! O homem já estava perdendo a paciência quando um desconhecido solicitou licença para ajudar. Desconsolado, o proprietário consentiu, sem confiar que qualquer coisa pudesse ser feita àquela altura. O estranho, porém, abriu o capô, conectou um fiozinho a uma pequena peça do motor e, com um delicado toque, completou o reparo. Suas mãos nem receberam manchas de graxa, e, dada a partida, estava perfeito o automóvel.

Parece ironia. O mecânico desconhecido se aproximou do proprietário e, mostrando-lhe a carteira de identidade, diante dos olhos curiosos de uma pequena multidão, disse: “Meu nome é Henry Ford. Eu é que fiz estes veículos e compreendo muito bem como funcionam!”Ninguém conhece melhor uma obra do que seu fabricante.



O SACO DE PREGOS



Era uma vez um menininho que tinha um mau temperamento.
Um dia o seu pai lhe deu um saco de pregos e mandou que ele pregasse um prego na porta do seu quarto cada vez que agisse movido pela raiva.
No primeiro dia, o menino pregou 20. E o seu pai o aconselhou a ser mais calmo.
Nas semanas seguintes ele foi aprendendo a se controlar e o número de pregos diminuiu. Depois de muitos dias e muitos pregos, finalmente o menino não ficou com raiva nem uma única vez e foi correndo contar para seu pai.

Então, meu filho, agora que você aprendeu a se controlar, arranque todos os pregos da sua porta!- disse -lhe o pai. 
Depois de arrancá-los, o menino olhou para o pai e disse:
-Puxa, pai, como a porta ficou feia, toda esburacada.
-É meu fiho, é assim mesmo, respondeu o pai - Quando agimos movidos pela raiva, vamos deixando ferimentos profundos no coração das pessoas.
Marcas difíceis de se apagar.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011


 

LEMBRE-SE:

“Aqueles que menos merecem o amor,
são os que mais necessitam dele”. 

Modelo de Convites para Escola Bíblica







Obrigado!!!! Valeu!!!

Visualizações de página por país
Brasil
48.301
Portugal
1.830
Estados Unidos
959
Alemanha
291
Rússia
74
Japão
66
Angola
39
Cingapura
35
Reino Unido
33
Chile
28

ONDE VOCÊ ESTÁ, PAPAI?





... porque tu estás comigo” (Sl 23:4)
“Nenhum outro fator é mais importante para o sucesso e felicidade das crianças do que a presença de um pai biológico na família.” 

“Pai, posso lhe mostrar o desenho da nossa família?” “Não, minha filha, papai está ocupado.” A filha, de cinco anos,  volta umas duas ou três vezes e recebe um não cada vez mais alto. Finalmente, aquele pai, meio arrependido,  resolve chamar a sua filha para ver o desenho. Lá estava mamãe, a irmãzinha e o cachorrinho de estimação. O desenho estava até bonito. O pai fica sozinho em seu escritório, olhando para a figura. Repentinamente, ele chama a filha. “Filhinha, onde está papai?” Ela responde: “No escritório”.
Pesquisas demonstram que famílias sem a presença do pai biológico tendem a ser desestruturadas, empobrecidas e vulneráveis à corrupção da sociedade. Na história de muitos criminosos a ausência do pai é um fator muito comum. Pais que permanecem muito tempo no trabalho, bebendo com os amigos, arrumando coisas para fazer, deixam atrás de si um tipo de orfandade mais triste: “Eu tenho um pai, mas ele não está presente”. Quantos filhos chegam à idade adulta carregando as memórias de um pai que não estava lá...
Pai, nada é mais importante do que sua presença. A presença de um pai que está acessível para os seus filhos, que brinca sem se sentir culpado,  que os conhece como a palma da mão, que oferece um exemplo e referencial de vida, que está ali para proteger, que não deixa faltar nada dentro de casa, que ama a mamãe, que é todo ouvidos, que pastoreia o seu pequeno rebanho com ternura e firmeza.
Não deixe para estar presente amanhã, esteja presente hoje, pois o amanhã talvez nunca chegue. Os filhos crescem rápido demais e, quando menos esperar, eles já estarão casados com suas próprias famílias. Que eles possam levar para os seus novos lares um exemplo a ser seguido, desejando reproduzir aquilo que eles mesmos experimentaram dentro de casa.
Talvez você sinta que a paternidade é algo que está além de suas forças e capacidade. Não se preocupe, nosso Pai celestial está nos conosco para nos capacitar. Ele tem toda a sabedoria e amor. Ele, mais que ninguém, é capaz de nos fazer pais de verdade. Quanto mais temos comunhão com Deus, mais nosso coração vai bater no mesmo ritmo do Pai que está sempre presente!
Jorge Issao Noda